Ir para o conteúdo

Release CAGED - Abril de 2017

0 sem comentários ainda Ninguém está seguindo este artigo ainda. 142 visualizações

Em abril de 2017, Agropecuária e Serviços registram maiores saldos positivos no emprego formal da Bahia

Em abril de 2017, registrou-se um saldo de 59.856 empregos formais com carteira assinada no Brasil. Este saldo foi superior ao do mesmo mês em 2016, quando o resultado foi de -62.844 empregos. No acumulado dos últimos doze meses (maio de 2016 a abril de 2017), o saldo ajustado registrado foi de -969.896. Esses dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados em 16 de maio de 2017, pelo Ministério do Trabalho (MTb).

A Bahia apresentou saldo de 7.192 empregos celetistas em abril de 2017, registrando um saldo superior ao do mesmo mês do ano passado (-3.022). Em abril de 2017, o saldo da Bahia foi obtido pela diferença da movimentação de 47.143 admissões e 39.951 desligamentos. Nos últimos 12 meses, a Bahia acumula um saldo de -52.636 empregos, com os ajustes das declarações entregues fora do prazo[1].

O saldo positivo da Bahia, em abril, foi o maior do Nordeste, região onde o saldo só foi positivo em mais um dos nove estados, a região apresentou um saldo de -1.119 empregos. O outro estado que registrou saldo positivo foi Piauí (225 empregos). Os demais saldos registrados na região foram negativos, com destaque para Alagoas (-4.008), seguido por Pernambuco (-1.169), Maranhão (-1.159), Rio Grande do Norte (-921), Ceará (-675), Paraíba (-532) e Sergipe (-72).

Setorialmente, o resultado positivo do estado da Bahia deveu-se integralmente ao desempenho dos setores de: Agropecuária (3.479), Serviços (2.330), Indústria de transformação (1.139), Administração pública (472) e Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP) (159), cujos saldos representaram 7.849 empregos em abril de 2017. Contrariamente, os setores de Construção civil (-503), Extrativa mineral (-101) e Comércio (-53) apresentaram saldos negativos, minimizando o impacto do saldo positivo registrados pelos outros setores.

Em abril, a Região Metropolitana de Salvador (RMS)[2] registrou um saldo de 1.266 empregos e no interior do estado (municípios não metropolitanos), o saldo foi de 5.926 empregos. Na RMS, o setor de Serviços (1.159) registrou o maior saldo positivo no mês, seguido por Administração pública (325), Indústria de transformação (23), Construção civil (-407) e Agropecuária (13). Já os setores de Comércio (-106), Construção civil (-67), Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP) (-47) e Extrativa mineral (-34) registraram saldos negativos de emprego formal na região.  

No interior do estado, os setores de Agropecuária (3.736) e Indústria de transformação (1.116) registraram os maiores saldos positivos do mês, seguidos por Serviços (1.171), Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP) (206), Administração pública (147) e Comércio (53). Contrariamente, os setores de Construção civil (-436) e Extrativa mineral (-67) registraram saldos negativos em abril de 2017.

Em termos geográficos, o maior saldo positivo da Região Metropolitana foi registrado por Salvador (713 empregos), seNo setor de Serviços da Bahia, os segmentos de Comércio e administração de imóveis, valores mobiliários e serviços técnicos (1.109) – maior saldo positivo entre os subsetores –, Ensino (620) e Serviços médicos, odontológicos e veterinários (492) apresentaram os maiores saldos positivos do setor, seguidos pelos segmentos de Transportes e comunicações (148) e Serviços de alojamento, alimentação, reparação, manutenção e redação (44). Contrariamente, o segmento de Instituições de crédito, seguro e capitalização (-83) apresentou o saldo negativo do setor. No setor do Comércio, ambos os segmentos apresentaram saldo negativo, Comércio varejista (-41) e Comércio atacadista (-12). Na Indústria de transformação, os saldos positivos mais expressivos foram registrados por Indústria química de produtos farmacêuticos, veterinários, perfumaria (973), Indústria metalúrgica (190) e Indústria de produtos alimentícios (75), seguidos por Indústria têxtil (37) e Indústria de produtos minerais (10). Os saldos negativos em destaque no setor foram registrados por Indústria de calçados (-63), Indústria mecânica (-43) e Indústria da borracha (-21).ndo seguido por Lauro de Freitas (425) e Camaçari (230). Os principais saldos negativos de emprego da RMS, no mês de abril, foram registrados em Simões Filho (-324) e São Francisco do Conde (-60).

No interior do estado, dentre os cinco municípios não metropolitanos e com mais de 30 mil habitantes, os maiores saldos positivos de emprego foram registrados em: Itamaraju (1.305), Eunápolis (1.087) e Catu (249). Contrariamente, destacaram-se com os saldos negativos mais significativos: Guanambi (-113), Ipirá (-108) e Mata de São João (-91).

[1] Os dados incorporam ajustes e foram consultados no site do MTb em 16/05/2017.

[2] Apesar de a RMS ser formada por 13 municípios desde 2009, os dados agregados pelo Ministério do Trabalho para esta Região ainda contam com as informações de apenas 10 deles: Camaçari, Candeias, Dias D’Ávila, Itaparica, Lauro de Freitas, Madre de Deus, Salvador, São Francisco do Conde, Simões Filho e Vera Cruz. Sendo assim, os dados agregados para a Região Metropolitana não estão considerando os municípios de Pojuca, Mata de São João e São Sebastião do Passé.  

 

Em breve, os dados do mês de abril estarão detalhados no próximo Boletim informativo mensal, elaborado pelo Observatório do Trabalho da Bahia e publicado no site da Secretaria de Emprego, Trabalho, Renda e Esporte da Bahia (Setre).

Disponível também em: http://geo.dieese.org.br/bahia/


Fonte: Observatório do Trabalho da Bahia

0 sem comentários ainda

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.